Deixe um comentário

Dia 18 – Um poema

NOITE DE LUAR

Lua,
tu que banhas de prateado
este céu todo estrelado
na profundeza das noites,
vai dizer à minha amada
que a saudade é um cativeiro
de quem recebo os açoites,

que sinto nos sons profundos
o mumúrio de sua voz,
e vejo os pares de estrelas
como se fôssemos nós.

Lua, eu te peço, não negues,
lança um raio de Luar
na face do meu amor,
e faz com que ela sinta
dos meus beijos o calor.

E se acaso ela adormece
faz de seu sono uma prece,
e do céu a catedral.

Colhe as estrelas mais belas,
tece um véu no firmamento,
e leva a ela que eu mando
com este fiel juramento:

Te amarei por toda a vida,
sem fronteiras no pensar,
e deste amor farei tudo
para o teu amor conquistar.



Poema escrito pelo Cel. Tirteu Frota. Li, amei, postei.
Anúncios

A Farofa Corp. agradece seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: