3 Comentários

Berzundela de Sóbria

Após quase cair de nádegas no chão, venho contar-lhes uma história, verídica, mas não aconteceu comigo. Aconteceu com a amiga de uma colega que estava com outras amigas. É mais ou menos assim:

(Nomes alterado porque eu não lembro dos nomes reais…)

Marcilda, Evangelina e Suevellyn são três amigas que adoram sair juntas. Não apenas pelo fato de serem amigas, mas também porque Evangelina não bebe, podendo dirigir e ajudá-las a distinguir copo com bebida de corpo da Pepita.

Certa vez, em um de seus passeios, já passando de quatro horas da manhã, resolveram se apressar a pagar a conta e voltar para casa. O dia seguinte seria longo!

Todas concordaram que Marcilda pagaria tudo no cheque e as outras compensariam conforme a divisão de consumo. Todas concordaram, também, que Evangelina preencheria o cheque com o valor certo e Marcilda apenas assinaria no devido espaço com sua devida, mesmo que confusa, letra.

Pediram a conta. O garçom, que não aguentava mais as cantadas de Suevellyn, a mais atirada, veio, feliz em saber que iam embora, finalmente(!), e trouxe a conta. Após conferir, Evangelina preencheu o cheque, pegou a identidade de Marcilda e disse:

– Tá aqui amiga, assina como está na sua identidade.

Marcilda olhou pra identidade, olhou bem na cara da Evangelina e, com um bafo atordoante, soltou:

Ôurra… Ezza azinadura num é minha!

– É sim, Marcilda! Olha aqui na tua identidade!

Já valei gui num é minha, borra! Gué disgudí gumigo?!

– Marcilda, meu amor, vê se essa foto aqui não é a sua.

É minha vodo zim, mas a azzinadura num é!

-É sim, só assina aí pra gente ir embora, vai…

O circo assim se formou. As duas já estavam chamando bastante atenção. A não ser da Suevellyn, que ainda estava olhando para o garçom bonitão.

Continuaram nessa discussão por aproximadamente meia hora, enquanto pessoas se divertiam ou criticavam.

Como passava por perto, o gerente resolveu parar e ver qual motivo daquela baderna no estabelecimento.

– Posso ajudar em alguma coisa, senhoras?

A primeira a falar foi Marcilda:

A minha amiga agui dá gum brobrema. Ela gué gui eu azzine gom uma azzinadura gui num é minha!

– Mas a assinatura é dela, moço. Ela que está bebada demais para distinguir. Não sei como vamos poder pagar. Estamos dependendo dela.

O gerente olhou as duas, pegou a identidade, examinou e disse:

– Bem, ela parece mais sóbria que a senhora. Esta assinatura é do diretor do IFP.

Anúncios

3 comentários em “Berzundela de Sóbria

  1. que comentário é esse aí? kakakakakaka…

    Curtir

  2. Gente, a mulher é doida mesmo, hein… kakakakaka… tadinha, ela se confundiu na hora de apontar (eu acho).rsrs

    Curtir

  3. Realmente, Thalita. Coitada da moça kakakaka Passar vergonha bêbada é uma coisa, passar vergonha sóbria é ainda pior kkkkkkkkkk.P.S.: Também me espantei com o comentário. o.O

    Curtir

A Farofa Corp. agradece seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: